Notícias

IBTeC chega aos 48 anos comemorando resultados de 2020

IBTeC chega aos 48 anos comemorando resultados de 2020 07 OUTUBRO

7 de outubro é dia de festa para o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos - IBTeC, que está completando 48 anos. O clima é de comemorações. O ano de 2020 “está sendo muito desafiador, mas ao mesmo tempo está representando um divisor de águas para nossas equipes, que tiveram que se adaptar ao uso diário de ferramentas que até então eram esporádicas”, afirma o presidente executivo, Paulo Griebeler.

Os resultados de 2020 não deverão superar o ano de 2019, “mas graças aos esforços redobrados da equipe, não deveremos ter perdas substanciais” preconiza o presidente. Lembra que a instituição está colocando em prática o planejamento estratégico 20-30, realizado em 2019, pensando nos próximos dez anos, tendo como meta o desafio financeiro e econômico  de triplicar o tamanho do IBTeC neste período. “Ao mesmo tempo, temos um desafio estratégico, de ser referência em pesquisa em inovação e tecnologia, e de termos excelência na prestação de serviços, em todas as nossas áreas de atuação - desde serviços em laboratórios, passando por consultoria, para poder atender às expectativas e necessidades dos nossos clientes e associados”.

Para alcançar seus objetivos, a instituição planeja prospectar oportunidades de mercado, dando continuidade ao projeto de diversificação de suas áreas de atuação, “trabalho que estamos fazendo dede que assumimos a instituição, há oito anos”. Cita o caso específico do setor de Equipamentos de Proteção Individual - EPIs, que registrou crescimento exponencial na participação do faturamento do Instituto. Os fabricantes de calçados de segurança sempre estiveram entre os clientes dos laboratórios do IBTeC. No início da década de 1990, a instituição conquistou o credenciamento junto ao Ministério do Trabalho para a emissão de Certificado de Aprovação - CA para calçados de segurança e para luvas, o que deu protagonismo ao Instituto em relação a Equipamentos de Proteção Individual - EPIs. A partir de 2010, a instituição começou a intensificar investimentos para atender este setor, decisão impulsionada pelo crescimento do segmento no país. Em dez anos, o Instituto fez investimentos que triplicaram a capacidade de atendimento na área de EPIs, equipando os laboratórios de ensaios da instituição, além da qualificação de seus profissionais.

“Todos os investimentos feitos ao longo dos últimos oito anos nos deram agilidade para atender a um setor que trouxe muita demanda para a instituição - no ano de 2020, os fabricantes de máscaras, luvas e vestimentas precisaram muito da nossa estrutura, consolidando nossa posição neste segmento”.      Nosso maior capital são os recursos humanos. Por isto, temos procurado trabalhar muito as pessoas, com qualificação permanente, e buscando profissionais de destaque no mercado. E no período da pandemia, fizemos um comitê de gestão de crise para monitorar todo o processo, sempre com o foco em não demitir ninguém. Inclusive os oito estagiários que foram contratados antes do início da crise foram mantidos, porque estas contratações fazem parte do projeto de crescimento da equipe, porque queremos formar mão-de-obra capacitada para os próximos desafios que teremos pela frente.

 

CONSOLIDAÇÃO DO IBTeC DIGITAL

Uma das grandes conquistas do ano de 2020 foi a consolidação do IBTeC Digital, um caminho que já vinha sendo trilhado nos últimos quatro anos, que foi acelerado ao longo deste ano tão atípico. Hoje, os laboratórios de Biomecânica, Físico Mecânicos, de Microbiologia, de Substâncias Restritas e de Luvas e Vestimentas estão fazendo cursos de atualização para os clientes de forma digital, com toda a qualidade e atendimento que têm superado as expectativas. Outro exemplo do nível de digitalização da atuação da instituição é o fato de que todos os laudos de ensaios são enviados aos clientes de forma digital, agilizando o processo e gerando satisfação aos nossos clientes.

O IBTeC Digital também proporcionou a continuidade de nossas ações públicas, como o Happy Hour com Tecnologia, que era realizado mensalmente em nosso auditório, com a participação média de 100 pessoas por edição. Com a pandemia, passamos a realizar encontros quinzenais, de forma digital, ultrapassando o número de 1.000 visualizações em algumas palestras.

Na continuidade, estamos realizando neste momento a Semana do Calçado 2020, uma ação idealizada em parceria com o Sebrae RS, com a participação de todas as entidades e das promotoras de feiras do setor coureiro-calçadista, também no formato digital, com palestras online em uma maratona de quatro dias de eventos.

Outra frente priorizada pela administração do IBTeC foi quanto à agilização no atendimento, “entregando laudos em tempos recordes, o que com certeza é um dos fatores que nos levaram ao aumento tão significativo da participação do setor de EPIs no dia a dia do IBTeC. Com nosso setor comercial atento às exigências do mercado, estabelecemos uma estratégia de preços competitivos e a agilidade nos prazos de entrega tem sido a receita do nosso sucesso”, afirma Griebeler.

O trabalho nas redes sociais tem colocado o Instituto em uma vitrine de alto alcance “que tem nos permitido alcançar clientes que ainda não conheciam a instituição e nossos serviços, em todo o Brasil e nos países vizinhos da América do Sul”. Com atuação forte em canais próprios no Facebook, Instagram e Linkedin, o Instituto divulga suas ações e seus serviços, e ganha o reconhecimento da cadeia por sua atuação.

 

CONSULTORIA PARA INDÚSTRIAS E NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA TIVERAM ANO MUITO ATIVO

Setores que tiveram muita movimentação no IBTeC ao longo de 2020 foram o de consultoria para indústrias e o NIT - Núcleo de Inovação Tecnológica. As duas áreas trabalharam de forma conjunta, agregando os conhecimentos do Laboratório de Biomecânica, para apoiar as indústrias na busca de novos modelos, inovações em pesquisa e tecnologias para superar os impactos da pandemia. Foram meses de trabalho intenso, para atender às necessidades de todos os segmentos assistidos pelo Instituto. “Este ano, tivemos um incremento de 20% no número de empresas atendidas por estas áreas, e acreditamos que em 2021 nossos clientes estarão com muitas novidades desenvolvidas em parceria com nossos laboratórios”, enfatiza o presidente executivo.

 

LABORATÓRIOS DO IBTeC PREPARAM INDÚSTRIAS PARA A EXPORTAÇÃO

No momento em que se acentua a guerra comercial entre Estados Unidos e China, os calçadistas brasileiros poderão voltar a ganhar espaço no mercado americano de calçados. Pensando nisto, o IBTeC intensificou seu atendimento na preparação das indústrias nacionais para as exportações. Os laboratórios físico mecânicos oferecem ensaios de qualidade e CAs que atestam o atendimento de exigências técnicas destes mercados. Já o laboratório de substâncias restritas fornece laudos de atendimento às normas de uso de produtos químicos em cada componente e insumo usado nos produtos exportados, de acordo com as exigências de cada país.

O processo de atendimento aos exportadores brasileiros inicia na consultoria - os técnicos do Instituto podem acompanhar e encaminhar cada produto para o atendimento das exigências, evitando barreiras técnicas para a entrada nestes mercados. A consultoria do IBTeC também atende fornecedores de componentes para as indústrias exportadoras, agilizando processos e promovendo o ganho de tempo para a colocação dos produtos nestes mercados.

 

INOVAÇÃO EM CONFORTO

Com uma equipe de doutores em biomecânica trabalhando pesquisa em conforto com 18 anos de experiência, o IBTeC tem apoiado as indústrias brasileiras na busca de agregação de valor aos seus produtos, a partir de tecnologias de conforto. A instituição busca alternativas de insumos e componentes que resultem em um calçado com conforto percebido, mantendo empresas, permanentemente, vinculadas aos laboratórios de biomecânica, buscando melhorias constantes em seus produtos. Nos mesmos laboratórios são pesquisadas e desenvolvidas tecnologias de performance para calçados esportivos e para calçados funcionais.

Os laboratórios do Instituto não estão focados apenas em atendimento às regras de uso de produtos químicos em outros países ou às tecnologias de conforto. A instituição desenvolveu, conjuntamente com as entidades do setor coureiro calçadista, um manual para atender também o mercado interno no tema da sustentabilidade, um dos aspectos mais visados por consumidores de todo o Planeta.