Notícias

Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) desenvolve material que aumenta fricção em solados de calçados

 Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) desenvolve material que aumenta fricção em solados de calçados 08 ABRIL

       Engenheiros do MIT - Massachusetts Institute of Technology -  desenvolveram um material que aumenta a fricção, e pode ser usado para revestir a sola de sapatos, dando mais aderência no gelo e outras superfícies escorregadias. O arte japonês as de corte de papel foi a fonte de inspiração para os engenheiros do MIT - os pesquisadores utilizaram o kirigami, uma técnica que é uma variação do origami, e envolve  cortar e dobrar papel, para criar o novo revestimento. Nos testes realizados como laboratório, ficou comprovado que quando as pessoas usavam sapatos revestidos com kirigami sobre uma superfície gelada, geravam mais atrito do que quando andavam com calçados com revestimento normal.

         Os pesquisadores criaram padrões intrincados de pontas em uma folha de plástico ou metal. Essas folhas, quando aplicadas na sola do sapato, permanecem planas enquanto o usuário está de pé, mas as pontas saltam durante o movimento de caminhar, promovendo maior aderência ao solado. Os pesquisadores do MIT testaram vários designs diferentes, em forma de quadrados, triângulos ou curvas, até chegar ao melhor resultado. O padrão de curvas côncavas (foto) trouxe os melhores resultados em uma variedade de superfícies que incluiu gelo, madeira, piso de vinil e grama artificial.

         Ficou evidenciado nos testes que com os revestimentos kirigami o atrito gerado ficava entre  20 a 35% (dependendo do tipo de piso)  maior do que o atrito gerado pelos sapatos com solados normais.

         Os estudos dos pesquisadores do MIT agora são para determinar a melhor maneira de anexar e incorporar as superfícies de kirigami aos solados. Estão testando tipos de materiais para obter os melhores resultados. Estão considerando incorporá-los nas solas ou projetá-los como um elemento separado que pode ser anexado quando necessário. Também está sendo explorada a possibilidade de usar diferentes materiais, como um polímero semelhante à borracha com uma ponta de aço reforçada.

         A ideia original era buscar uma forma de evitar escorregões em superfícies geladas. Mas o desenvolvimento do projeto levou os pesquisadores a considerarem que este tipo de aderência de sapato também possa ser útil em ambientes de trabalho úmidos ou oleosos.

         A pesquisa foi financiada pelo Departamento de Engenharia Mecânica do MIT, pela U.S. National Science Foundation e pela Swiss National Science Foundation.

Fonte: Site MIT.

Tradução: Miguel Silva

Consultor empresarial especializado no setor calçadista